Menu Principal

Para quem não creditou, ainda há tempo...

3

Iriny Lopes

No dia 22 de maio de 2010, publiquei aqui no Travessia um post cujo título é “Um número que está dando certo”. E está mesmo. De 145 mil atendimentos naquela ocasião, passou para a marca de 1,9 milhão.
Em comemoração aos cinco anos da edição da Lei Maria da Penha, ontem (09/08) foi anunciado mais um levantamento do atendimento no Disque 180. 

Foram 1,9 de ligações desde sua criação - abril de 2006 até junho deste ano - contabilizando 237,2 mil relatos de violência. Do total, 22,3% são relacionados a casos enquadrados na Lei Maria da Penha, com 434,7 mil atendimentos.

As demais ocorrências correspondem à seguintes situações:
-141,8 mil  - violência física; 
-62,3 mil - violência psicológica; 
-23,4 mil - violência moral; 
-3,7 mil - violência patrimonial; 
-4,6 mil - violência sexual; 
-1021 - cárcere privado; e 
-164 - tráfico de mulheres. 

Os avanços na área são resultados de dois fatores: investimentos em melhorias tecnológicas e capacitação de atendentes para tornar o atendimento mais eficiente - informa a ministra Iriny Lopes da Secretaria Nacional de política para Mulheres (SPM) - além das campanhas de divulgação e o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher.

O perfil da procura pelo atendimento
-46% das mulheres são pardas;
-estão entre 20 e 40 anos (64%);
-cursaram parte ou todo o ensino fundamental (46%);
-convivem com o agressor há mais de dez anos (40%);
-87% das denúncias são feitas pela própria vítima;
-59% não dependem financeiramente do agressor;
-em 72% das situações os agressores são os cônjuges das vítimas;
-65% dos filhos presenciam a violência e,
-20% sofrem violência junto com a mãe.

Os processos e procedimentos
No total forma distribuídos 331.796 processos, com:
-110.998 agressores sentenciados;
-1.577 prisões preventivas;
-9.715 prisões em flagrante e, 
-120.99 audiências designadas. 

As maiores procuras pelo 180, por unidade da federação
-Bahia: 224,36 
-Sergipe com 215,1 ;
-Pará com 214,52 e o DF aparece em quarto lugar com 210,28 registros.
Em números absolutos, São Paulo lidera o ranking com 44,4 mil atendimentos.
Fico feliz e desejo compartilhar esta minha alegria com vocês. 
Mas, ainda há muito por fazer.
E faremos!

3 comentários:

Olá minha querida amiga Beth!!!
Maravilhosa notícia minha amiga, adorei!!!
Tudo que for para conter e dificultar essa vergonhosa violência é maravilhoso, bom mesmo é que não existisse pessoas capazes de praticá-la. Com certeza minha amiga, ainda há muito por que fazer.
Parabéns pela excelente postagem!!!
Tenha um dia maravilhoso!!!
Beijos e muita paz!!!

Oi Beth!
Há projectos que não podem parar mesmo que, aparentemente, possam não ser ideais. A violência doméstica é um crime extremamente difícil de provar, mas têm que ser as vítimas a denunciá-lo, mesmo sabendo que isso vai acarretar mais violência (vergonha, exposição involuntária dos filhos, cansaço) para elas próprias.
Abração!

Olá querida Beth
Desculpe minha ausência estes dias, mas aqui estou fazendo minha travessia!
Acredito que a mídia em geral tende a só conseguir ipobe com más noticias e tragédias!
Mas sempre encontramos fatos positivos!
Eis aqui um exemplo!
Ainda bem que eu faço a travessia, encontro informações verdadeiras e boas noticias!
Boa semana!
Beijos

WIDGETS QUE ABREM COM A BARRA DO FOOTER

Acompanhe o Feed

Fechar

ou receba as novidades em seu email

Digite seu email:

Entregue por FeedBurner

BARRA DO FOOTER

Blog desenvolvido por

Site Desenvolvido por Agência Charme
Bookmark and Share

Traduzir este Blog

Visitas

Curtir

Assine o Feed

Minimizar