Menu Principal

Depende de Nós!

6

Um Feliz Novo Ano!
Feliz 2.012!
Com muita Paz,
Saúde,
Solidariedade,
E Justiça Social!
Que juntos, possamos continuar fazendo a Travessia por muitos e muitos anos.
Obrigada pela companhia.
Um abraço fraterno.
Depende de Nós!

Viver Sem Limites

2
Este é o sonho que todos perseguem, mas que só alguns conseguem realizar.
Mas, qual será mesmo o significado desta afirmação que faço?

Para encontrar as respostas é necessário parar, pensar e olhar para além das nossas necessidades imediatas.
É importante que consigamos enxergar as necessidades dos outros seres humanos - também classificados como "diferentes", mas que também devem ter as mesmas oportunidades, inclusive na esfera do laser?

Bem chega de questionamentos.
Vem aí os novos destinos da liberdade!

Os destinos turísticos brasileiros adaptados às pessoas com deficiência serão divulgados no Brasil e exterior. A ação faz parte do Turismo Internacional Sem Limites do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

No início, o programa visa atrair turistas estrangeiros, em especial da América do Sul para conhecerem a Estância Hidromineral de Socorro (SP), destino de turismo de aventura adaptado a pessoas com deficiência. 

As primeiras viagens estão programadas para ocorrem no início de 2.012 e depois se estenderão a partir das promoções junto a operadores de turismo e jornalistas, que poderão conhecer os produtos, serviços e destinos brasileiros acessíveis. 

O programa está alinhado às diretrizes do Plano Nacional dos Direitos das Pessoas Com Deficiência, o Viver Sem Limite, alinhado às Metas do Milênio da ONU. 

Então para responder às perguntas, penso que viver sem limites neste caso, é viver a cidadania plenamente, e Sem Limites de Inclusão Social.


Divino Violão

5
"Ah, essas cordas de aço
Este minúsculo braço
Do violão que os dedos meus acariciam
Ah, este bojo perfeito
Que trago junto ao meu peito..."
(Cartola)

Quando pensei em fazer esta homenagem ao Marcelo, imediatamente me veio à lembrança esta música do Mestre Cartola. Embora nunca tenha tido a oportunidade de vê-lo tocar ao vivo e só o conheça pelas redes sociais, imagino que seja essa a sensação que ele deve sentir quando dedilha os acordes no seu maravilhoso violão.

Nascido em Congonhas (MG), o músico Marcelo Cardoso mudou-se para Belo Horizonte em 1981. Mas foi na sua cidade natal que iniciou os seus estudos de violão. Autodidata, ainda menino, aprendeu observando os colegas tocarem.

Em BH percorreu os mesmos caminhos dos famosos mineiros do Clube da Esquina: Bares e casas noturnas. Lá também participou de vários festivais e concertos de violão.
Em 2001, gravou o seu primeiro CD intitulado PONTEIO - violão solo, que tem no repertório refinado músicas como Samba da Benção, Samba do Avião, Ponteio, Dos Cruces dentre outras. Como resultado obteve excelentes resenhas da crítica musical local.

Sua carreira como professor e solista da Música Popular Brasileira continua em paralelo à de violonista. Por conta disso Marcelo Cardoso criou o seu Website Oficial Violonista Marcelo Cardoso, dedicado ao violão brasileiro, no mundo e a música.

E com sou uma apaixonada pela boa música, não poderia deixar de apresentar a vocês o Violinista o Marcelo Cardoso, nosso parceiro de Travessia.
Espero que curtam e o sigam.
Um abraço.


Menino Deus

7

"Menino Deus, um corpo azul-dourado
Um porto alegre é bem mais que um seguro
Na rota das nossas viagens no escuro
Menino Deus, quando tua luz se acenda
A minha voz comporá tua lenda
E por um momento haverá mais futuro do que jamais houve
Mas ouve a nossa harmonia
A eletricidade ligada no dia
Em que brilharias por sobre a cidade".
(Caetano)

Olá parceiros (as)!
Com esta imagem reafirmamos os nossos votos por um Natal mais Justo e Amoroso.

Voltaremos na terça, dia 27/12.
Saúde e Paz.
Beth Muniz



Há alguma conexão?

1
Sim: No campo das ideias e da liberdade de expressão!
No dia 16/12 quando eu postei os Três Macaquinhos e a Liberdade de Imprensa, não imaginei que a capa da Revista Carta Capital chegaria às bancas esta semana, exatamente com uma foto sobre os famosos macacos.
É claro que o artigo na íntegra na é meu. Mas não deixa de ser uma boa coincidência. 

O ruído virtual do silêncio

Em apenas quatro dias, a primeira edição estava esgotada, com 30 mil exemplares vendidos. As primeiras 15 mil cópias de A Privataria Tucana, livro do jornalista Amaury Ribeiro Jr., desapareceram em menos de 24 horas das principais livrarias do País, um sucesso inegável. O êxito editorial é um reconhecimento do esforço de apuração do repórter, que passou mais de dez anos investigando as maracutaias das privatizações na era Fernando Henrique Cardoso. “Mas se esta mesma obra tivesse sido lançada dez ou 15 anos atrás, ela poderia ter amargado um fracasso de vendas”, especula o jornalista e sociólogo Venício Artur de Lima, professor aposentado da Universidade de Brasília. “A chamada grande mídia ignorou solenemente as denúncias do livro e, não fosse pela repercussão na internet, em blogs e redes sociais, dificilmente teria entrado para o debate público como ocorreu.”

A omissão dos principais veículos de comunicação revelou, sobretudo, a seletividade da mídia tradicional na cobertura dos escândalos políticos. As exceções,comode hábito, foram raras. Carta Capital - antecipou aos leitores, em reportagem de capa com 12 páginas, as principais denúncias feitas por Ribeiro Jr., fartamente documentadas no livro, além de divulgar com exclusividade trechos da obra. 

A TV Record, que emprega o repórter-autor, também dedicou parte significativa do seu noticiário ao tema, assim como a revista eletrônica Terra Magazine, editada por Bob Fernandes. Ficou por aí. Enquanto os principais jornais e telejornais se calavam, quem cuidou de manter o debate aceso foram os internautas, tanto em textos publicados em blogs,como nos incalculáveis comentários que se alastraram pelo Facebook, Twitter e outras redes sociais. Diante da dificuldade de encontrar o livro nas prateleiras das livrarias, multiplicaram-se os boatos sobre um possível boicote. E também versões - digitalizadas da obra na web. “Muita gente baixou cópias. O livro impresso deve chegar ao Acre (se chegar) em 2012”, tuitou o jornalista acriano Altino Machado.

Ah, para disfarçar, a Globo cobre 24 horas a peleá da imprensa Argentina com o governo Cristina Kirchner. 
Por aqui faz exatamente o contrário: Silêncio absoluto.

Tentam esconder o quê? 

ANTES TARDE DO QUE NUNCA, OU SEREMOS ATROPELADOS PELA INTERNET!!

2
Crítica interna de Suzana Singer, ombudsman do Jornal Folha de São Paulo.

Ainda bem que a Folha deu a notícia sobre o livro “A Privataria Tucana” (Página A11). A matéria está correta, com o destaque devido, mas o jornal deveria continuar no assunto, porque há mais pautas no livro.
Exemplo: por que Verônica Serra e o marido têm offshores? Não deveríamos investigar e questioná-los? É já publicamos que Alexandre Bourgeois, marido de Verônica, foi condenado por dever ao INSS? É verdade que as declarações que ela deu na época das eleições, sobre a sociedade com a irmã de Daniel Dantas, eram mentirosas? Fomos muito rigorosos com o caso Lulinha, por exemplo.

Outra frente é a o tal QG de dossiês anti-Serra na época da eleição presidencial, que a Folha deu com bastante destaque. O livro conta coisas de arrepiar a respeito de Rui Falcão. Ao mesmo tempo, sua versão de roubo dos seus arquivos parece inverossímel. Seria bom investigar, já que ele faz acusações graves contra a imprensa, especialmente “Veja” e “Folha”.

Teria sido bom editar um “acervo Folha conta a história da privatização” para lembrar ao leitor que o jornal foi muito duro com o governo FHC. É um erro subestimar a capacidade da internete da Record – de disseminar a tese do “PIG”. E também seria bom esclarecer, com mais detalhes, o que é novidade no livro sobre esse período.

O Painel do Leitor só deu hoje uma carta cobrando a cobertura do livro. Eu recebi 141 mensagens. Quem escreveu hoje criticou a matéria publicada por:

1) ter um viés de defesa dos tucanos;
2) não ter apresentado Amaury Ribeiro Jr. devidamente e não tê-lo ouvido;
3) exigir provas que são impossíveis (ligação das transações financeiras entre Dantas e Ricardo Sérgio e as privatizações);
4) não ter esse grau de exigência em outras denúncias, entre as mais recentes, as que derrubaram o ministro do Esporte (cadê o vídeo que mostra dinheiro sendo entregue na garagem?);
5) não ter citado que o livro está sendo bem vendido

Então, diante dos que da Suzana, mesmo que você seja um leitor de direita, adesista à mídia, reconheça que a ombudsman referendou, uma por uma, as teses da blogosfera progressista. Não só quanto ao viés tucano do jornal como, também, quanto ao poder de difusão da blogosfera.

Chega a ser ridículo a ombudsman ter que avisar ao jornal sobre esse poder. O fato, porém, é que veículos como Globo, Folha, Veja e Estadão, entre outros, parecem acreditar que o que não publicam, não aconteceu. Um dia pode ter sido assim, mas hoje em dia, com a internet, já era. A internet ajudou a derrubar ditaduras sangrentas no Oriente Médio. Não tem, portanto, qualquer dificuldade em fazer circular maracutaias de jornais.

Diante de crítica tão arrasadora de sua ombudsman, porém, o que é que fez a Folha?

Uma Busca ativa por um Natal sem Miséria

0
Uma busca ativa por um Natal sem Miséria
Ao completar seis meses, o Plano Brasil Sem Miséria (BSM) já localizou 407 mil famílias em situação de miséria. Assim, a busca ativa atinge mais de metade da meta de localizar 800 mil famílias extremamente pobres até 2013 e incluí-las no Cadastro Único de Programas Sociais. 

Os resultados foram apresentados no evento de assinatura de termo de compromisso entre os governadores do Centro-Oeste - no dia 16/11, e a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, em Brasília. O Plano tem apoio dos 26 estados e o Distrito Federal (DF). 

Além dos estados da região Centro-Oeste, mais oito - Amapá, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia e São Paulo, estão integrando seus programas de transferência de renda ao Bolsa Família por meio da busca ativa – localização física das famílias. Com isso, mais de 3,5 milhões de pessoas serão beneficiadas.

No Centro-Oeste, os Governadores do Distrito Federal, de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul ao aderiram o Pacto Centro-Oeste do Plano Brasil Sem Miséria possibilitam a implementação de ações voltadas ao atendimento de 557.449 pessoas que vivem com renda mensal de até R$ 70,. 

Por um Natal, Justo e Amoroso!

6
Então, Feliz Natal!
Para todos (as),
Que amam as crianças, os animais, as plantas, a natureza e os idosos;
Aos que respeitam à mulher como um ser imprescindível na harmonia e no amor - e não como um objeto meramente sexual;

Para quem se despe dos preconceitos, de qualquer natureza;
Aos ateus, judeus, mulçumanos, hinduístas, evangélicos, budistas, católicos, espíritas e umbandistas;

Para os que crêem e ajudam a construir um mundo melhor;
Aos que conseguem ver a luz do dia mesmo em meio à escuridão;
Para quem sonha e busca a realização dos sonhos, por “menores” que sejam;

Para quem combate à pobreza, e acredita ser ajusta a divisão das riquezas;
Aos que amam as artes – poesia, teatro, cinema, música, livros;
E para os que defendem a liberdade como um valor imprescindível à condição humana e abomina qualquer forma de tortura, repressão e opressão;

Para quem acredita que a verdadeira essência do Natal está no nascimento do menino Jesus, e não no consumismo desenfreado;
Aos que presenteiam os seus o ano inteiro, com carinho, afeto e respeito;

Para os parceiros (as) - queridos amigos, seguidores e leitores, desta nossa Travessia, o meu muito obrigado;

Aos que me criticam, e de mim discordam, por me darem a oportunidade de refletir sobre isto;
E também, aos meus amigos físicos – poucos e sinceros;
À minha família e a minha mãe – Dona Neide, minha essência;

Ao meu amor – para quem escrevo versos e poesias, e com quem compartilho os meus dias;

Desejo: Um Feliz Natal!
Então, é Natal...

Os três macaquinhos e a liberdade de imprensa

3

Para quê, para quem?

Lançado na quinta-feira (8/12), com 15 mil cópias, o livro A Privataria Tucana, do meu colega Amaury Ribeiro Jr., já é o mais vendido do país e está esgotado nas livrarias. O fenômeno editorial só não teve a oportunidade ainda de aparecer nas folhas da grande imprensa.
Como trata dos malfeitos do processo de privatização promovido pelo governo anterior, envolvendo com provas e documentos a fina flor do tucanato, até o momento em que comecei a escrever este texto, no final da tarde de segunda-feira (12), o livro foi solenemente ignorado.
O estrondoso silêncio contrasta com o barulho das denúncias contra ministros do governo atual, que repercutem imediatamente em todos os veículos, e passam semanas nas capas e manchetes.
Para quê?
Se o livro do Amaury não é bom e não prova nada, que se escreva isso com todas as letras. O que não dá é para fingir que o livro – resultado de mais de dez anos de pesquisas do repórter – não existe, é um fantasma criado pela blogosfera desvairada.

"Meu amigo Nirlando Beirão, colega de trabalho no R7 e no Jornal da Record News, já comentou o assunto em seu blog e no telejornal com o Heródoto Barbeiro, na sexta-feira. Volto ao tema apenas para fazer as perguntas aí do título, que já repeti mil vezes e ninguém me responde. É para isso que defendem a liberdade de imprensa com tanto fervor e chamam de censura qualquer tentativa de se regulamentar a área de comunicação social"?
Trata-se do exemplo mais descarado de manipulação da informação e do tratamento seletivo das denúncias do “jornalismo investigativo” da velha imprensa.

Para quê e para quem, afinal, serve esta liberdade de imprensa pela qual todos nós lutamos durante os tempos da ditadura, que eles apoiaram, e hoje é propriedade privada de meia dúzia de barões da mídia que decidem o que devemos ou não saber?
E assim a Velha Mídia, como sempre, age como  os três macaquinhos: Nada vê, nada ouve e nada fala. Quando lhe interessa, é claro! (Beth Muniz).

Ricardo Kotscho é Jornalista
Fonte: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/liberdade_de_imprensa_para_que_para_quem


HEREROS: Uma Angola que a maioria dos angolanos desconhece. E quando conhece, renega.

3
Esta semana fui ver uma belíssima Exposição sobre os Herreros, no Museu da República de Brasília.
Confesso que já havia ouvido falar sobre esse povo considerado excêntrico pela maioria dos angolanos. Após ver a exposição dois sentimentos me ficaram: Admiração e inquietação. Saí do museu com uma deliciosa e perturbadora sensação de ter descoberto mais um pouco sobre as nossas origens.
-As origens:
Escutei os antepassados, os mais velhos que já se foram. Nós fomos nascidos nessa área chamada Calundo Cambete e dali nos metemos em línguas diferentes; quem foi falar uma certa língua passa a pertencer a essa língua, mas todos somos Hereros, tal e qual ao Mukubal.
SOBA MUTILI MBENDULA – MUHIMBA

Não acreditem em boataria!

0
Espaço conquistado, é espaço preservado.
Foi o que afirmou ontem (13/12) a presidenta Dilma Rousseff na cerimônia de encerramento da  3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, e negou ontem as persistentes notícias veiculadas em diversos veículos de comunicação do país sobre uma possível extinção da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) na reforma ministerial prevista para acontecer em janeiro.
“Não há qualquer veracidade nas notícias que falam sobre a extinção ou fusão da secretaria, afirmou Dilma”.

A presidenta da República afirmou que o Brasil tem superado obstáculos na conquista de mais espaço para as mulheres e citou que 2011 foi um ano marcado pela conquista da criação da ONU Mulheres - dirigida pela ex-presidente do Chile, Michelle Bachelet.

A 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres reuniu cerca de três mil brasileiras que discutiram durante três dias, temas como a autonomia econômica feminina, a maior participação das mulheres na política e o fim da violência contra as mulheres. A conferência nacional é o resultado de um processo participativo que mobilizou mais de 200 mil mulheres em todo o país e vai consolidar as propostas das conferências estaduais e municipais.

O Carteiro e O Poeta

2
Um dos filmes mais belos a que já assisti, o Carteiro e o Poeta conta a história de Pablo Neruda, o seu exílio na Itália e a do carteiro contratado especialmente para cuidar da correspondência do poeta. Mais que isso: Conta uma história de amizade, esperança e luta. Pablo sempre foi um exilado, mesmo dentro do seu país.
E no Chile, naquele 11 de setembro de 1973 - porque será que a mídia só fala do 11 de setembro americano?, enquanto o governo de Salvador Allende era derrubado por um golpe de Estado liderado pelo general Augusto Pinochet, quase que simultaneamente a casa de Pablo Neruda, na Isla Negra, foi saqueada e seus livros, queimados.  Pablo não se encontrava em casa, mas em um hospital para o tratamento de  câncer de próstata. Desde que escutou no rádio as últimas palavras de seu amigo Salvador Allende, Neruda foi se apagando aos poucos. Finalmente morreu no dia 23 desse mês fatídico.

Esgotada primeira edição do livro Privataria Tucana

0

"Luiz Fernando Emediato, da Geração Editorial, experimentou ontem a força dos blogues sujos. E, obviamente, da capa da CartaCapital.
O fato é que, na noite de ontem, a editora já não tinha mais cópias do livro Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr.

Todos os 15 mil exemplares tinham sido despachados. A editora foi pega completamente de surpresa pela força de divulgação dos internautas e, durante o dia, teve de improvisar para dar conta de atender aos pedidos das livrarias, que não paravam de chegar.

Houve muitos boatos, inclusive sobre a apreensão do livro. De suspeito, mesmo, só alguns compradores que levaram todo o estoque de duas livrarias (50 livros em cada).
A Geração se especializou em lançamentos guerrilheiros, como o do livro Honoráveis Bandidos, de Palmério Dória, que vendeu mais de 100 mil cópias sem qualquer divulgação na grande mídia.

Há, porém, uma diferença: o livro de Amaury, embora trate de um tema espinhoso — lavagem de dinheiro — traz quase uma centena de páginas de documentos e pode ter desdobramentos políticos e até mesmo jurídicos de longo prazo.

PS do Viomundo: Nossos pedidos de desculpas aos leitores. Ontem, por uma lastimável falha técnica, o blog subiu uma janela para transmissão do twitcam que nos deixou na mão, sem que pudessemos corrigir a tempo. Felizmente, outros blogues supriram nossa deficiência.
PS do Viomundo2: Emediato ofereceu uma cópia do livro para ser sorteada entre os leitores do Viomundo. Deixem os nomes nos comentários, pois".

Obrigado.
Luiz Carlos Azenha



Festival de Cinema Polonês 2.011

3

FESTIVAL DE CINEMA POLONÊS 2011 – WAJDA NO BRASIL
De 6 a 16 de dezembro 
Entrada franca
Cinema polonês é sinônimo de cinema de qualidade. O país que cedeu ao mundo realizadores como Kieslowski, Wajda, Polanski, Skolimowski,  que acolheu a lendária Escola de Lodz,  tem com a linguagem cinematográfica uma parceria de longos anos. Em 2008, a Polônia celebrou o centenário do cinema polonês – em 22 de outubro de 1908, ocorreu a primeira exibição pública da comédia Antonio pela primeira vez em Varsóvia, do diretor Jerzy Meyer. 

Por este, em 2009, motivo foi organizado em todo o Brasil o primeiro Festival do Cinema Polonês. No ano passado o Festival aconteceu  novamente – dessa vez tendo como foco as produções cinematográficas mais recentes do país. Agora chegou a hora de mostrar o que o cinema polonês tem de melhor. 

O Festival de Cinema Polonês 2011 será dedicado exclusivamente ao grande cineasta, laureado com o  Oscar, Andrzej Wajda, oferece a oportunidade única de conhecer  ou rever as mais  importantes obras do  célebre diretor polonês, que marcaram a história do cinema nacional e mundial. Ao público brasileiro serão apresentadas produções feitas entre  1960 e 2009. São onze filmes de vários gêneros, selecionados com o objetivo  de mostrar o perfil da obra do Andrzej Wajda.

Além de Brasília, o festival circulará pelos principais centros culturais do Brasil, entre outros: São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Manaus, Fortaleza e Salvador.


E o Conto de Fadas, se acabou?

1
Quando se chega pela primeira vez à Dinamarca, leva-se um susto. Se você é oriundo de um país considerado "subdesenvolvido" e está em Copenhagne, quem leva o susto são os dinamarqueses.

Claro que isto mudou – faz tempo. Já não somos mais considerados subdesenvolvidos, e a Dinamarca há muito perdeu o estatus de país do primeiro mundo, dentro do primeiro mundo. Mesmo assim o país continua como que saído de um conto de fadas. É pequeno e lindo.

Estive por lá há algum tempo atrás. Confesso que foi um choque cultural, social e econômico terrível! Eu não acreditava que "aquilo pudesse existir", mas existia. Como fui parar lá? Bem, aí já é uma outra história.Tem a ver com a minha militância política. Quem sabe um dia eu conto.

Dignidade: Um valor que poucos reconhecem e muitos ainda desconhecem

2
Dilma Rousseff
Que bom que uma foto como essa reflita um momento como esse, com essa cara de dignidade, enfrentando seus algozes, que ainda hoje escondem seus rostos!

Que bom que essa foto reflita a cara de uma militante depois de 22 dias e noites das torturas mais cruéis – de pau de arara, choque elétrico, afogamento e outras violências físicas -, como não se quebra a coragem de um ser humano que se decidiu a lutar contra as injustiças!

Que bom que as novas gerações possam saber quem estava de cada lado, quem dava a cara e quem escondia a cara!

Que bom que uma foto como esta venha a público quando a Comissão da Verdade está prestes a começar a funcionar e alguns ainda pretendem passar a ideia de que eram dois grupos armados digladiando-se, como se não houvesse quem estava do lado da ditadura e quem estava do lado da democracia!

Que bom que os jovens de 22 anos possam hoje ver o que foi a vida daquelas gerações que lutou contra a ditadura!

Que bom que pudemos ter gerações com aquela, que lutaram com dignidade, não medindo sacrifícios, para que pudéssemos derrotar a ditadura!

Que bom que se possa romper a censura da velha mídia e publicar fotos como essa e outras daquela época, de tão triste memória para o país, e que os que estiverem implicados nela querem fazer esquecer.

Que bom que existam pessoas que enfrentaram e seguem enfrentando as injustiças com essa coragem e essa dignidade.

Que bom que tenhamos uma mulher assim como Presidenta do Brasil!

Que bom Emir Sader!

A cúpula da OIT Internacional chega hoje à Capital Federal. Na seuquencia fará visitas à Salvador, Cuiabá.  Por aqui, se reunirá com os ministros Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Tereza Campello (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), além de integrantes do Ministério Público e do Ministério das Relações Exteriores.

Vem para verificar os projetos desenvolvidos em parceria pelos governos federal, estaduais e municipais e pela OIT Brasil, e conversar com as autoridades brasileiras. A diretora-geral do Programa Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil da organização, Constance Thomas. Permanecerá no país até o dia 13.

A OIT está preocupada com a possibilidade de o trabalho infantojuvenil ser retomado em áreas que estava extinto, em decorrência dos impactos da crise econômica internacional. “Nosso receio é que o trabalho infantil seja retomado em países da África e Ásia, em que ele já não existia mais, ”

Alguns sonham, outros não

1
“Eu tenho um sonho.” Essa frase praticamente define a ação do grande líder Martin Luther King (o rei da causa negra, eu diria), que passou a vida lutando pela igualdade de direitos entre brancos e negros nos Estados Unidos, em um tempo que privilegiava o homem branco no transporte, nas escolas, na cidadania. Foi assassinado em 1968 exatamente por lutar pelas conquistas que ele ajudou a serem alcançadas. Com destemor e liderança, enfrentou os maiores obstáculos, insurgiu-se contra a guerra e a discriminação. Marcou época em um período de grandes transformações sociais. 

O mesmo ano de 1968 ficou marcado pelas manifestações dos estudantes na Sorbonne parisiense, que ergueram barricadas em sua luta por mudanças. “Nós somos judeo-alemães”, era o grito que ecoava; queriam demonstrar que todos somos iguais, sejamos negros, sejamos árabes ou brancos. Esse era o slogan daquela juventude que lutava por liberdade, autonomia e independência. Provocaram muitas mudanças, colocaram de cabeça para baixo qualquer tradição ou vício social. Antes, as mulheres eram tratadas como menores e as opções sexuais como fantoches. Daniel Cohn-Bendit simbolizou aquele movimento. Dani,comotodos os outros, também tinha um sonho.

WIDGETS QUE ABREM COM A BARRA DO FOOTER

Acompanhe o Feed

Fechar

ou receba as novidades em seu email

Digite seu email:

Entregue por FeedBurner

BARRA DO FOOTER

Blog desenvolvido por

Site Desenvolvido por Agência Charme
Bookmark and Share

Traduzir este Blog

Visitas

Curtir

Assine o Feed

Minimizar