Menu Principal

Onde reside a esperteza?

5
O objetivo não é filtrar profissionais para o mercado, e sim impedir que entrem pessoas. 

Na coluna “Um golpe comunista no Brasil”, nós já havíamos obervado que a Associação Médica Brasileira havia ameaçado acionar a Justiça e levar a classe, dos MÉDICOS, para as ruas, caso a ex-terrorista Dilma Rousseff importasse médicos cubanos. O presidente da associação Floriano Cardoso chegara mesmo a afirmar que o governo seria o responsável direto por erros, complicações e mortes que poderiam ocorrer caso médicos incompetentes passassem a atender o povo brasileiro.
Naquela ocasião, nada dissemos do risco de erros e de morte que todos já sofremos sem necessidade de importação dos médicos de Cuba.  

Os formados em medicina nas faculdades caça-níqueis, os profissionais submetidos ao regime do lucro e do desprezo pela vida da população já dão conta, com muita competência, do serviço. Para isso, para quê trazer o jaleco alienígena? Mas agora, o que antes era ameaça se concretiza: a AMB (Associação Médica Brasileira) anunciou ontem que haverá uma paralisação nacional dos médicos hoje, 3 de julho. O protesto, segundo a entidade, será feito por conta da decisão do governo federal de trazer médicos do exterior para que trabalhem no  Sistema Único de Saúde.

Avisa a AMB que serão mantidos apenas os serviços de urgência e emergência. Cirurgias e atendimentos eletivos, por exemplo, não serão feitos em 3 de julho. Não vem ao caso aqui, longe do colunista sequer a insinuação, que na greve serão mantidos todos os gêneros de cuidados médicos nos hospitais privados e nas clínicas particulares. Como o Dr. Jekyll, muitos dos nossos profissionais de medicina têm uma face pública e uma privada, queremos dizer, uma face particular, das suas contas bancárias. Sobre isso nem é bom falar. É natural, elementar, Mr. Hyde,  que todo o mundo precisa sobreviver.

A novidade maior, a esperteza escorregadia, vem do novo discurso dos dirigentes da categoria médica. Eles falam agora que não se opõem à vinda de médicos pura e simplesmente. Não, longe disso. O problema é que os médicos de Cuba têm que passar antes pelo Revalida, a Revalidação do Diploma Médico, porque, afinal, o povo tem que ser bem cuidado, não é qualquer um chegar aqui com diploma de quinta categoria pra cuidar dos brasileiros.  E sabe o leitor onde reside a esperteza?

O Revalida é uma prova que até mesmo os que a elaboram são incapazes de passar. Ou segundo as palavras de Heleno Rodrigues Correa Filho, conselheiro do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde e professor associado da pós-graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Campinas:

“No Revalida, exigem conhecimento sobre coisas que não são da rotina médica diária. E perguntam sobre o que nem eles sabem responder. São exames para reprovar 90% dos candidatos. E reprovam mesmo. O exame de revalidação de diplomas estrangeiros é elaborado por professores de universidades renomadas que estão politicamente decididos a não deixar entrar ninguém. O objetivo não é filtrar profissionais para o mercado, e sim impedir que entrem pessoas. Não há avaliação externa ao Revalida.

Quando são reprovados 90% dos candidatos, ninguém vem a público reclamar de tamanho absurdo, dizer que no Reino Unido ou na América do Norte uma prova assim seria reestruturada. Por que brasileiros passam em exames nos Estados Unidos e americanos não passam no Revalida brasileiro? É porque tem alguma coisa errada... Essa direita que não quer modificações no Revalida é a mesma que não quer as cotas nas universidades e os médicos oriundos dessa escola cubana”.

A opinião acima é um petardo demolidor sobre as boas intenções da AMB. E vem de um especialista médico, que bem conhece a prova e os seus pares. Mas o diabo do Revalida é que ainda assim se aprovam 10%. Então o que exigem mais agora, para que o povo brasileiro não fique sem médicos? Os nacionais querem, por cima, uma prova de português para os médicos alienígenas. É justo. Do meu canto, deixo a sugestão de uma prova matadora desses 10% de invasores.

Na prova de português, os médicos cubanos devem ser submetidos a uma prova dividida em 3 partes. Na primeira, uma análise sintática de todo o canto IV de Os Lusíadas, com identificação de orações, objetos, acessórios, inversões, elisões, alusões, metros raros, mais exegese com identificação dos personagens em Camões e suas biografias. Na segunda, uma interpretação de frases com gírias cariocas, pernambucanas, amazonenses e gaúchas. Na terceira, uma redação toda em termos da fala do caboclo do Acre. Pronto, creio não haver melhor Revalida para nos livrar de mais uma  invasão comunista.

Sobre o autor:
Urariano Mota - Direto da Redação, Recife


Visite...

5 comentários:

Beth, apropriadíssimo o seu texto para inaugurar a semana!
De que adianta trazer médicos de outros países se aqui temos tantos e em péssimas condições de trabalho!
Precisamos é de mais estrutura e valorização do pessoal interno!

Ah, e agora fiquei consciente do motivo de ninguém passar nas provas: que coisa hem? Estou estupefata!

Venho também agradecer sempre o seu carinho amiga! Você sabe que é sempre TOP querida!!
Beijos e uma semana maravilhosa!!

Oxente! Vixe Maria! Pense numa prova arretada! será que lá vai cair o significado destas palavras? Se cair é batata! vai todo mundo tirar nota zero. Mas levando a questão a serio eu pergunto: outro dia um médico quase que arranca meu braço somente para medir a minha pressão que estava de 15 por 13 e ele me diz que estava normal. Eu aqui quase do tamanho de uma formiga não aguento uma pressão de 13 por 9 vou suportar uma de 15 por 13? Por pouco não enfartei. E este ai passa? Se precisasse de uma revalidação em termos de humanidade será que este grosseirão passaria? Mas não deixei barato dei-lhe uma lição de moral e fui direto pra outro hospital!

Certa ocasião fui atendida no nosso pronto Socorro Municipal por um jovenzinho médico. Como sou de conversar, acabei sabendo que ele tinha estudado medicina em Cuba e contou-me da excelência que era a medicina por lá.
Outra coisa: estou há 2, repito 2 anos consultando com médicos (de convênio) que não descobriram a causa de minha dor na perna esquerda que está quase me impedindo de caminhar. Foi preciso eu consultar um quiropraxista (pago) para ter um diagnóstico válido.
A classe médica brasileira, com algumas exceções, tornou-se mercantil.
Que venham os cubanos e portugueses!

Oi Atena,
Bem como profissional da área da saúde, conheço bem como se comporta a maioria dos profissionais médicos, que usa o sistema público como um biombo para o consultório particular.
Trabalhar na periferia e interior, nem pensar...
Sobre Cuba: Sou testemunha da competência acadêmica e científica da Ilha. Estive por lá um bom período. Portanto, não me falaram. Eu vi e vivi.
Queiram ou não, Cuba é referência na área.
Beijo Mestra.
Obrigada pela inestimável parceria.

Rsrs
Oi Maria,
Você é muito engraçada...
Veja, não existe relação entre peso e pressão arterial alta, a não ser que haja outros agravantes genéticos ou adquiridos, tipo diabetes...
Minha mãe é magrinha e pequena, e tem pressão que pode chegar à 18.
Portanto, está provado que o revalida não opera sobre o comportamento humano do profissional médico. Só serve para fazer o que o texto diz.
Assim, esta o revalida e o grosseirão, reprovados.
Fez bem!
Um abraço.

WIDGETS QUE ABREM COM A BARRA DO FOOTER

Acompanhe o Feed

Fechar

ou receba as novidades em seu email

Digite seu email:

Entregue por FeedBurner

BARRA DO FOOTER

Blog desenvolvido por

Site Desenvolvido por Agência Charme
Bookmark and Share

Traduzir este Blog

Visitas

Curtir

Assine o Feed

Minimizar