Menu Principal

O homem que inventou o ebook

3
Michael Hart.

Quase toda vez que baixo um livro na internet vejo uma assinatura que acabou se tornando familiar: Project Gutenberg.  

Desenvolvi um sentimento de admiração e gratidão, tantas as leituras que o Gutenberg tem me proporcionado.

Nunca soube quem estava atrás desse projeto  até ler, certo dia, um obituário.

Michael Hart, o fundador, americano de Washington, morrera, aos 64 anos.

Poucos o conheciam, e no entanto ele é uma daquelas poucas pessoas de quem se pode dizer, sem cair no ridículo, que mudaram o mundo para melhor.  Ele inventou o ebook, o livro eletrônico. Jamais procurou a notoriedade e nem o dinheiro: morreu pobre e reconhecido apenas por umas poucas pessoas.

Hart tinha um lema atribuído a Bernard Shaw, segundo o qual são as pessoas insanas que verdadeiramente empurram o mundo adiante ao fazer coisas pretensamente absurdas.

Como ele fez.

Em 1971, foi concedido a ele um tempo ilimitado num computador de uma universidade. Naquele tempo, computador era uma raridade. Era 4 de julho, Dia da Independência dos Estados Unidos. E então ele decidiu digitar o texto da declaração de independência, que seria compartilhado por um punhado de amigos que estavam conectados àquele computador.

Nascia o ebook.

Nunca mais ele deixou de reproduzir textos. Hart digitou sozinho, inicialmente, livro após livro. Depois, voluntários se juntariam a seu esforço para disseminar conhecimento. Hoje, o Projeto Gutemberg tem um acervo de quase 40 000 livros eletrônicos.

Hart foi quem viu, antes que os outros, que a verdadeira vocação do computador era espalhar conhecimento, e não fazer cálculos. “A recompensa do conhecimento é o próprio conhecimento”, dizia.

Numa outra grande frase, lembrou: “As pessoas não notaram que os livros eletrônicos são a única coisa que poderão ter ilimitadamente além do ar.”

Foi um herói da humanidade.

*****

Paulo Nogueira/DCM

3 comentários:

Olá, Beth!

É uma pena que ele tenha morrido sem ter tido o reconhecido merecido. No Brasil os livros em Ebooks não são muito queridos pelos leitores. Tem até mesmo autores que não disponibilizam seus livros em Ebooks, somente em livros impressos. Eu leio muito livros em Ebooks e tenho mais de 300 livros no meu tablet.
Aqui no seu blog ele está tendo o reconhecimento que tanto merecia.
Beijos

Marcia Pimentel

Olá Beth! É sempre muito bom conhecer assuntos dessa natureza. Incentiva a alma. Graças a Deus existe e sempre existirá pessoas que contribuem para o crescimento da Humanidade.
Abraços

Olá Beth,
Ainda gosto do cheiro do livro de papel, Beth, mas concordo contigo, os e-books estão facilitando minha vida e me proporcionando reler livros que li há muitos anos.

WIDGETS QUE ABREM COM A BARRA DO FOOTER

Acompanhe o Feed

Fechar

ou receba as novidades em seu email

Digite seu email:

Entregue por FeedBurner

BARRA DO FOOTER

Blog desenvolvido por

Site Desenvolvido por Agência Charme
Bookmark and Share

Traduzir este Blog

Visitas

Curtir

Assine o Feed

Minimizar