Menu Principal

Grécia, Islândia, Irlanda, Espanha, Portugal e Itália: Tão "ricos" e tão miseráveis quando se trata da pobreza infantil.

1
É o que revela o UNICEF.

A pobreza infantil aumentou em 23 das 41 nações analisadas pelo relatório, Crianças da Recessão.

O impacto da crise econômica de 2009 no bem estar infantil em países ricos, totalizando em 76,5 milhões o número de crianças que vivem em condições de pobreza nos países desenvolvidos. Um exemplo: Daniela e Chiara (foto UNICEF), que aos dezesseis anos não estudam nem trabalham, em Turim, na Itália. 

O número de crianças que vivem abaixo da linha da pobreza cresceu em 2,6 milhões nos países ricos desde 2008, por conta dos impactos negativos da onda de recessão que atingiu essas economias, afirma um novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), lançado ontem, 28/10.

As taxas mais altas do relatório foram as da região do Mediterrâneo, que cresceram em mais de 50% na Croácia, Grécia, Islândia, Irlanda e Letônia. A média de renda das famílias com crianças retrocedeu em diversos outros países: Portugal e Itália atingiram os níveis de oito anos atrás, enquanto a Espanha perdeu os progressos de renda da última década.

Segundo o UNICEF, o agravamento das disparidades entre ricos e pobres, os declínios graduais da renda e o fato de muitos jovens não estarem na escola, empregados ou sendo treinados para alguma atividade provocam preocupação, uma vez que podem causar mudanças estruturais de longo prazo que representam retrocessos para as crianças do mundo desenvolvido.

O líder de estratégia e política global do UNICEF, Jeffrey O’Malley, enfatizou que a força das políticas de proteção social é um fator decisivo na prevenção da pobreza. Por isso, os países ricos devem fazer do bem estar infantil uma prioridade, se comprometer a erradicar a pobreza infantil e desenvolver políticas que equilibrem crises econômicas.

*****

Enquanto isso... o Brasil saiu do Mapa Mundial da Fome em 2014, segundo relatório global da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO)

Mas, e aqui no Brasil? Quantos acham isso relevante? Provavelmente os que são contra às Políticas Sociais de inclusão e de distribuição de renda.

*****
Para quem tem uma boa posição social, falar de comida é coisa baixa. É compreensível: eles já comeram.
(Bertolt Brecht)

1 Comentário:

Com certeza o Bertolt Brecht estava com toda a razão, por isso tem muitos que se zangam quando falamos nesses índices por aqui.
Abraço

WIDGETS QUE ABREM COM A BARRA DO FOOTER

Acompanhe o Feed

Fechar

ou receba as novidades em seu email

Digite seu email:

Entregue por FeedBurner

BARRA DO FOOTER

Blog desenvolvido por

Site Desenvolvido por Agência Charme
Bookmark and Share

Traduzir este Blog

Visitas

Curtir

Assine o Feed

Minimizar