Menu Principal

Francisco: “Nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos”

3
“Terra, teto e trabalho. É estranho, mas se falar disto, para alguns parece que o Papa é comunista”, começou por referir, antes de recordar que “o amor pelos pobres está no centro do Evangelho”.

*****

O Papa Francisco apelou à defesa dos direitos dos trabalhadores e das suas famílias, durante um encontro com os participantes no primeiro encontro mundial de Movimentos Populares.

“Digamos juntos, de coração: nenhuma família sem casa, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos, nenhuma pessoa sem a dignidade que o trabalho dá”, declarou, perante trabalhadores precários e da economia informal, migrantes, indígenas, sem-terra e pessoas que perderam a sua habitação.

“Não existe pior pobreza material do que aquela que não permite ganhar o pão e priva da dignidade do trabalho. O desemprego juvenil, a informalidade e a falta de direitos laborais não são inevitáveis, são o resultado de opção social prévia, de um sistema econômico que coloca os lucros acima do homem”, defendeu o Papa.

A intervenção alertou para o “escândalo da fome” e as consequências da “cultura do descartável”, condenando os “eufemismos” que se utilizam para falar do “mundo das injustiças”.

“Este sistema já não se consegue aguentar. Temos de mudá-lo, temos de voltar a levar a dignidade humana para o centro: que sobre esse pilar se construam as estruturas sociais alternativas de que precisamos”, explicou.

Francisco criticou o “império do dinheiro” que exige a “guerra”, o comércio de armamentos, para a sobrevivência de “sistemas econômicos”.

O Papa agradeceu aos participantes pela sua presença no Vaticano para “debater tantos graves problemas sociais que afetam o mundo de hoje” desde a perspetiva de quem sofre a desigualdade e a exclusão “na sua própria carne”.

“Terra, teto e trabalho. É estranho, mas se falar disto, para alguns parece que o Papa é comunista”, começou por referir, antes de recordar que “o amor pelos pobres está no centro do Evangelho”.

"Terra, teto e trabalho, aquilo por que lutam, são direitos sagrados. Reclamar isso não é nada de estranho, é a Doutrina Social da Igreja", assinalou.

O Papa pediu que se mantenha viva a vontade de construir um mundo melhor, “porque o mundo se esqueceu de Deus, que é Pai, ficou órfão porque deixou Deus de lado”.

Num discurso de cerca de meia hora, Francisco referiu que a presença dos Movimentos Populares é um “grande sinal”, porque estão no Vaticano para “pôr na presença de Deus, da Igreja, uma realidade muitas vezes silenciada”.

“Os pobres não só sofrem a injustiça mas também lutam contra ela”, precisou.

Jesus, acrescentou, chamaria “hipócritas” aos que abordam o “escândalo da pobreza promovendo estratégias de contenção” para procurar fazer dos pobres “seres domesticados e inofensivos”.

O discurso papal abordou ainda os temas da paz e da ecologia, para além das questões centrais do emprego e da habitação.

“São respostas a um anseio muito concreto, algo que qualquer pai, qualquer mãe quer para os seus filhos. Um anseio que deveria estar ao alcance de todos, mas que hoje vemos com tristeza que está cada vez mais longe da maioria”, sublinhou Francisco.

O Papa convidou os participantes a prosseguirem com a sua luta, “que faz bem a todos”, e deu-lhes como presente uns terços fabricados por artesãos, ‘cartoneros’ e trabalhadores da economia popular na América Latina.

*****

3 comentários:

Me expulsaram do Dihitt. Imaginei que isso fosse acontecer mesmo, mas imaginei que fosse ter algum dialogo antes, mas povo conservador não é muito de diálogo. prá que, diálogo, né? Estamos com a razão e acabou-se. É a mentalidade desse povo. E teriam que me expulsar de qualquer jeito mesmo, pois não ia aguentar sem comentar os absurdos que via por lá. De toda forma é bom, pois perco menos tempo com aquele troço cuja boa parte dos comentários e blogues possuem uma orientação meio fascista. Beijos.

Oi Cid,

Bom dia!

Pois é... O perfil é realmente este que você fala. Também tenho pensado muito e resolvi gastar menos tempo com o DiHITT. É emsmo difícil passar batido em algumas coisas que são poblicadas por lá. Não vale a pena mesmo. Mudar não vamos. Então, melhor não gastar mais tempo e energia com eles.
Vou manter o perfil mas colocar a mão no freio.

Mas, mas... há uma alternativa: O Fedd Turbo. Um ambiente muito diferente e que tem me dado um retorno muito agradável.

Não gostaria de perder contato com você. Então te convido: vem pra cá. http://www.feedturbo.com/

Passe lá, dê uma olhada e inscreva o seu Feed. O siste de publicação é bem facilitado: você coloca o link e o FT puxa as informações. Não há limites para publicar. Você envia quantos artigos desejar, inclusive de outros sites.

Vai lá... Qualquer dificuldade te ajudo.

Não podemos desistir. A eleição ainda não acabou. Querem por que querem ganhar no tapetão.

Te espero.
Beijo.
Força!

Valeu Beth, vou atrás desse feed turbo.
Você falou o certo, o retorno do Dihitt para os blogues de fato é bem pequeno.

Pois, o pouco de admiração que tinha por esse sujeito quando ele reconheceu a derrota, foi-se quando ele começou a fazer média com essa galera golpista que está com absurdos mil. Prefiro passar batido e nem ler mais no Google+ para evitar o nojo e o embrulho no estômago.
beijos

WIDGETS QUE ABREM COM A BARRA DO FOOTER

Acompanhe o Feed

Fechar

ou receba as novidades em seu email

Digite seu email:

Entregue por FeedBurner

BARRA DO FOOTER

Blog desenvolvido por

Site Desenvolvido por Agência Charme
Bookmark and Share

Traduzir este Blog

Visitas

Curtir

Assine o Feed

Minimizar